terça-feira, 31 de agosto de 2010

Concessionária Willys - Gastal S.A. ...

Uma concessionária de grande importância na aurora da indústria automotiva brasileira é a Gastal S.A., no Rio de Janeiro-RJ. Primeiro que, desde o início dos anos cinquenta ela foi a responsável pela importação dos Jeep's ao Brasil chegando até mesmo a colocar em prática uma linha de montagem dos componentes que chegavam em partes, no modelo de importação CKD. Segundo que, com a implantação efetiva da Willys Overland do Brasil, a Gastal S.A. também prestou sua colaboração, mas dedicou-se a partir de então a revender os produtos da WOB.

Daí aparece outro grande mérito da Gastal: ela teve o prédio mais bonito para uma concessionária! Ficava na Av. Brasil, número 2.268, e ostentava um enorme "W" junto a uma outra grande cúpula. Vejam na foto acima.
Abaixo, outro ângulo do prédio, em foto de 1956.
Na foto acima, a vitrine dos automóveis OKm escondidos atrás do grande "W". Essa foto é de 1961. Um Aero Willys ainda sem as calotas, uma Rural, uma Pick-up Jeep e um Jeep. Há uma curiosidade com o Dauphine: teto branco!? Nunca vi esse tipo de combinação, alguém explica?

Abaixo, em 1957, pilotos da "Expedição Baden Powell Jeep Willys ÁfricaEuropaAmérica" novamente frente o prédio. Reparem que lá dentro, está um lindíssimo Plymouth Fury 1957, carro do ano! Acima, pátio da oficina da concessionária Willys Overland do Brasil.

Abaixo, lançamento da Pick-Up Jeep em 1960. Anos depois, foi integrada à família Ford e passou a ser denominada de "F-75". Abaixo, foto do "Jeep Universal", ainda importado e expondo sua raça.
Saindo da caixa! Oficina de montagem da Gastal, em Nova Iguaçu-RJ em 1947.

Abaixo, a 5.000 º unidade vendida. Acima, "Agência Hugo Automóveis", no início da década de cinquenta na Tijuca. Em frente, uma "Rural" ainda norte-americana. As placas anunciam: Mércury, Pontiac, Chevrolet, Dodge...

Abaixo, foto de outra loja da Gastal S.A., mais modesta que a matriz. É em Botafogo e exibe um Aero Willys.guilhermediicn@hotmail.com

13 comentários:

  1. Guilherme! não tenho palavras. Que fotos!
    Aqui em Stº Antonio da patrulha-rs existiam Revendas da Willys, da DKW e da Ford antigas que estou a cata de fotos, mas está difícil a empreitada. Mas não desanimemos.
    Abraço.AH! Essas vou salvar OK?
    Marcelo fernandes.

    ResponderExcluir
  2. Belos e importantes registros. A você, Gui; e a quem preservou essas fotos, meus agradecimentos por tornar conhecidos esses flagrantes...
    Abs.,
    Hebert

    ResponderExcluir
  3. Belíssimas fotos!

    Tive a oportunidade de ver o prédio da Gastal na Av. Brasil ainda "em pé", pois passo diariamente por ali. Infelizmente o estado já era de abandono total. Um prédio vazio e sujo, como outras empresas da Av. Brasil (incluindo a imensa concessionária Ford Santo Amaro, que ficava um pouco mais a frente). Permanecia o grande W na frente do prédio, em meio a alguns vidros quebrados por vândalos, pichações, etc.

    O prédio foi implodido a menos de 10 anos para que fosse construido um pequeno viaduto de acesso a Linha Vermelha. Triste fim.

    Meu pai foi vendedor de outra concessionária Willys, a Mercantil (que ficava no Centro de Niterói), entre o final dos anos 60 e início dos anos 70. Uma pena que ele não tenha fotos dessa época. Mas guarda com orgulho uma condecoração por ter sido o "melhor vendedor do mês" (entre toda a rede de concessionárias!) em certa ocasião.

    ResponderExcluir
  4. Faço minhas as palavras de admração dos comentários acima.
    Esse prédio era um primor de arquitetura e forma. Um marco, que como muitos outros, ficou apenas na lembrança de quem viveu.
    A Gastal é parte da memória afetiva. Acho que havia uma onde hoje é op Ed. DePaoli na Avenida Rio Branco, naquela época vendia Simca, será? Essa da Botafogo ficava onde, alguém sabe? Gen. Polidoro? Assunção? Lembrei da Amendoeira Veículos, em frente ao cemitério S. João Batista, que hoje vende Renault (que ironia, lembro dos Gordinis na vitrine). E da Cássio Muniz, quem ainda se lembra? E da IAMSA?

    ResponderExcluir
  5. Guilherme, o teto branco do Dauphine parece mais uma capa protetora. Talvez os carros tivessem acabado de descer da cegonha, o que explica a falta das calotas do Aero.

    ResponderExcluir
  6. Muito intrigante esse teto branco no Dauphine.
    Não me parece ser uma capa e sim uma pintura mesmo.
    Não havia Dauphine de duas cores.

    ResponderExcluir
  7. Don Romeu,
    A mim parece ser mesmo uma capa protetora.Ampliando a foto,penso haver uma irregularidade na curvatura do teto na parte traseira,indicando ser algo sobreposto.Mas tambem pode ser ilusão de ótica minha...hehe

    ResponderExcluir
  8. Lembro que o "Gordini 1093" tinha o teto branco pois nao era permitido na época carro todo vermelho. Era cor privativa dos bombeiros, assim como o branco era de ambulancia.
    Os comentarios deixo prà voces mesmo, visto o sempre ridiculo que os tupiniquins se expoem.
    Mario

    ResponderExcluir
  9. Acho que a Gastal da foto ficava na Voluntários da Pátria... Reparem nos trilhos do bonde.

    ResponderExcluir
  10. fico feliz em ver estas fotos da gastal, este predio foi comprado pela minha familia no leilao da ford do brasil e la continou como ALFACAR pois se vendia alfa romeos e caminhoes pena o mesmo nao existir mais pois a violencia em torno do mesmo o fez ser depredado

    ResponderExcluir
  11. meu maverick saiu da agência hugo até então não havia encontrado nada sobre essa agência

    ResponderExcluir
  12. Sou de N.Iguacu e fiquei curioso. Onde ficava essa oficina de montagem?
    Em relação ao prédio da Av. Brasil já o conheci como loja de pneus.

    ResponderExcluir