terça-feira, 27 de abril de 2010

Alfa Romeo P3 Grand Prix do Roberto Lee ...

Na postagem de ontem, coloquei uma fotografia da fachada externa da nova concessionária Alfa Romeo em Petrópolis-RJ, a "Mário Olivetti Veículos S.A.".

Me chamou a atenção a presença de um monoposto de corrida dentro da vitrine da loja em inauguração. Displicentemente, eu ainda disse que não sabia qual era ela... Instantes depois, recebo o e-mail do Pedro Henrique Baleiro com essas fotos inéditas... Ora bolas! É claro que eu conheço essa "baratinha"!

É "a" Alfa Romeo P3 Grand Prix que pertence ao acervo do Museu Paulista de Antiguidades Mecânicas -MPAM- ou mais conhecido por Museu de Caçapava-SP ou Museu Roberto Lee.

Essa Alfa pertenceu à corredora Hellé Nice , com o qual sofreu um grave acidente em São Paulo ainda nos anos 30, sendo então recolhida ao pátio do Detran, onde ficou por muitos anos. Até que foi cedida ao nosso grande pioneiro antigomobilista, Roberto Lee, para compor seu pujante Museu durante os anos sessenta.

A história dessa Alfa P3 é formada por diversos retalhos... Quem sabe um dia alguém junte tudo. Mesmo sua estrutura ainda é polêmica, não se sabe ao certo o que é 100% original ou o que já foi alterado (talvez para melhor performance na época, ou em função de seu acidente), tanto é que por vezes é tida como sendo do modelo Monza.

Vejam mais sobre Hellé Nice: http://www.antyqua.com.br/artigo41.php

Atualmente a P3 se encontra no galpão da "Fazenda Esperança", sede do Museu, na cidade de Caçapava-SP.

Devo dizer que sou um grande fã do Roberto Lee e do MPAM -mesmo nunca tendo feito referência à ele aqui nesse espaço, propositalmente. Daí, a minha grande satisfação em encontrar essas duas fotos, onde pode-se ler no cartaz pregado na parede: Visite o Museu Paulista de Raridades Mecânicas em Caçapava-SP.
Essa mesma Alfa Romeo P3 Grand Prix aparece na imagem abaixo nas instalações do Museu. A foto é de 2004 e pertence ao João Simonetti. O estado atual é bem pior que o retratado nessa imagem, uma grande lástima. Em contrapartida, o Willys Capeta que aparece à esquerda da foto está à salvo na Fundação Memória do Automóvel, em Brasília-DF; muito bem cuidado por Roberto Nasser, que por sua vez, foi um discípulo do Lee.
guilhermedicin@hotmail.com

3 comentários:

  1. Sensacional, Guinle! Parabéns a você e a seus colaboradores. Agora, sempre que passar pela Av. Brasil, vou viajar mentalmente pelo tempo e imaginar como teria sido aquele evento, tão importante para Sampa e tão recheado de grandes nomes. Como pode não haver um marco sequer dos acontecimentos naquela avenida?
    Abração. TL

    ResponderExcluir
  2. Esse monoposto não era o que Hellé Nice correu o Grande Premio de São Paulo de 1936,o carro que ela correu foi adquirido pelo piloto brasileiro Benedicto Lopes,que recebeu as peças enviadas por ela da Europa,foi restaurado e inclusive ele correu na Europa.

    ResponderExcluir
  3. Fausto, e que modelo é esse que você diz?

    ResponderExcluir