sábado, 2 de junho de 2012

Kombi , Fusca & Cadillac ...



A bela paisagem de pano de fundo para os ainda mais belos automóveis: uma rara Kombi Luxo de seis portas, 1962, certamente servindo de lotação e alegrando o trânsito com as suas cores; um Fusca e um chamativo Cadillac.

5 comentários:

  1. Como queria viver nessa época

    Ivan (14 anos de idade)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ivan, nasci em 1956 e lembro muito bem como eram as coisas naquele tempo. Eu tinha uma sensibilidade igual a que você tem hoje (isso vai te ajudar muito pela vida afora).
      Havia muita dificuldade financeira (carros eram coisas de rico mesmo) e não haviam estradas como tem hoje. Eu morava perto da Via Dutra, em Taubaté, e só Deus sabe quantos acidentes com mortes eu ví naquele local. E era assim pelo Brasil inteiro: carros velhos, mal conservados, caminhões caindo aos pedacos, e por aí vai...
      Parabéns para você que esta "chegando" agora: carros melhores, mais baratos, infinitas opcões, estadas melhores.
      Só para você pensar: o pior carro de hoje é melhor e mais seguro que o melhor e mais caro automóvel daquele tempo.

      Excluir
  2. Claude Fondeville3 de junho de 2012 08:26

    Final do Morro Dona Marta meio caminho para o Corcovado. Se subir hoje verás que o cenário não mudou muito; agora os carros......!!

    ResponderExcluir
  3. Achei também muito interessante são os acessórios que enfeitam a Kombi.

    Humberto "Jaspion"

    ResponderExcluir
  4. Nasci em 1958 e faço do amigo que deu as dicas ao Ivan, também minhas palavras, realmente é tudo isto que ele escreveu. Eu que fui criado em São Paulo, e andei muito de DKW de praça, como se dizia dos taxis daquela época, também vivi tudo isto, realmente o mundo automobilistico com a qualidade atual é bem superior ao que se tinha nos automóveis naquela época, mas também não vou deixar de lembrar que o glamour era outro........
    Quanto a Kombi 6 portas, eu percebi pela foto que os acessorios que minha caminhonete tem hoje, como estribo e parabarros, não são tão atuais assim.............

    Rogério Astur

    ResponderExcluir