terça-feira, 10 de setembro de 2013

Mercedes - Benz LP 331 & Concessionária MB ...

Agência concessionária Mercedes - Benz da cidade Bandeirantes -PR.

Abaixo, frota dos bravos Mercedes-Benz LP-331 todos carregados, e bem carregados!, com a produção agrícola da cidade.

Acima, o cavalo mecânico LP-331 puxando a carreta e posando junto ao seu motorista, o pai do Antonio Martin, que nos envia as bonitas fotografias.

guilhermedicin@hotmail.com

11 comentários:

  1. Paulo - Jundiaí (SP)11 de setembro de 2013 08:55

    Nota-se que os caminhões e o cavalo usam tipos de rodas dianteiras diferentes. Já havia notado isso em outros modelos e outras marcas. Alguém pode me explicar se existe uma razão técnica para se usar esse tipo de roda ou se é só questão de produção? A do cavalo parece ser bem mais robusta, até maior.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vixe, não lembro muito bem, já faz muitíssimo tempo que estudei isso, teria que dar uma olhada nas minhas velhas anotações, mas vou dar um palpite através das minhas vagas lembranças. Além da robustez bem maior, também tinha a ver com facilidade de manutenção. Em vez de desmontar o "pesadão" conjunto roda/pneu, você desmonta só o conjunto aro/pneu, que é mais leve para quem faz isso. Além disso, se ocorrer um dano, provavelmente ocorrerá somente no aro, e você só troca o aro em vez da roda inteira. E também têm a ver com a fixação roda no aro que se expande mais e fixa melhor. Não lembro se tinha a ver com o alinhamento. Tinha outras razões dos quais eu não lembro pois já faz muito tempo que eu vi isso. Vou ver se encontro as minhas anotações.

      Humberto "Jaspion"

      Excluir
    2. Paulo - Jundiaí (SP)12 de setembro de 2013 09:26

      Valeu, Jaspion! Falar com quem entende é outra coisa! A memória de cada um de nós é fonte inesgotável! Não tem como arquivar um cheiro de estofamento novo (Curvim?) na internet, uma emoção de comprar o primeiro carro zero com o próprio dinheiro. Essas coisas só a memória aceita e preserva!

      Excluir
    3. Não há de que Paulo. Foi bom dar uma vasculhada na memória heheheh Mas falando do cheiro, a coisa mais marcante que tenho é o cheiro do Fuscão 1972 da minha mãe. Não era 0 km e já tinha quase 20 anos de uso, mas o cheiro característico daqueles VW dos inícios dos anos 70 ainda estava lá. Muito marcante. Abraços!!!

      Humberto "Jaspion".

      Excluir
  2. E essa foto colorizada é o máximo. Belo Mercedes "Cara Chata". Um conhecido de meu pai que é feirante na Ceasa/Ceagesp aqui de São Paulo, possui um desses 1959 só que 321. Outro dia um casal de turistas alemães viu o "Cara Chata" em plena atividade e ficaram tão impressionados que pediram permissão para tirar a foto do bruto. Virou atração turística.

    Humberto "Jaspion".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Impressão minha ou nenhum 331 sobreviveu para contar a história?

      Battuh

      Excluir
    2. Não lembro de ter visto um 331 ao vivo. São bem raros.

      Humberto "Jaspion".

      Excluir
  3. O famoso "Mercedão! Primeiro 331 depois 1520 com cabine mais quadrada e faróis retangulares. Era concorrente das Scanias L-75 e L-76 respectivamente.

    ResponderExcluir
  4. Esses LP cabinados! Aqui em Porto Alegre nunca vi um assim. Todos cabine simples. Que coisa!

    ResponderExcluir
  5. A diferença entre as rodas dos LP's cavalo e truck das duas fotos , está no ano deles , os da foto dos trucks são mais antigos e usavam rodas dez furos com pneu 900x20 , já os ultimos LP 331 sairam com rodas raiadas de seis raios com pneus 1100x22 , mais sem diferencial Tinkão e sem caixa de cambio " grande " , que só foram usados nos LPS 1520 .

    ResponderExcluir
  6. Os velhos "cara chata" são de muitas lembranças. Inclusive o terrível calor de sua cabine. Um caminhão de boa mecânica, mas o projeto não levava em consideração o conforto do motorista e do acompanhante.

    ResponderExcluir