terça-feira, 2 de julho de 2013

Museu do Automóvel de Uberaba - Adler 1936 ...


Há três meses coloquei aqui no AVA a foto do salão de um museu de carros antigos na cidade de Uberaba -MG, até então desconhecido por mim. Lá eu perguntava sobre mais informações do Museu que nasceu, morreu e não entrou pra história.
A postagem está AQUI.

Pois agora vai a colaboração do Haroldo Clebes da Silva, que foi diretor da empresa "Campo Verde Empreendimentos Rurais LTDA." na época em que o Museu foi constituído. Explica ele que o Museu e a empresa pertenciam ao Sr. Antonio Paulo Kessler de Almeida, falecido em 1985, e que o Museu do Automóvel de Uberaba chegou a ter em seu acervo mais de 60 automóveis!


Na foto, o próprio Haroldo ao volante de um Adler 1936, seguido por outros carros da coleção, em uma carreata pela cidade em comemoração da inauguração do Museu.

guilhermedicin@hotmail.com  

11 comentários:

  1. Que maravilha de foto! Na época, aquela Brasília azul não era nenhuma raridade, mas hoje, poderia fazer parte do acervo, certamente. E ainda contava com um belo bagageiro no teto. Original e em bom estado, é item um pouco raro em dias de hoje. E a carreata, então...simplesmente fantástica! Parece que chego a ouvir o som dos motores trabalhando.

    ResponderExcluir
  2. Tambem não deixei de reparar as duas Brasilias da foto......com certeza foi susseso de vendas na época.
    Att,
    Barão

    ResponderExcluir
  3. Este Adler é interessantíssimo, pois trata-se de um modelo "Trumpf Junior Sport" (1936-39) com carroceria tipo "roadster": dois lugares, tolda rebatível, portas com perfil côncavo, pára-brisa em V de baixa altura. Usava motor de 4 cilindros 995 cc, 28 CV, tração dianteira, velocidade máxima 110 km/h. Onde será que foi parar? AGB

    ResponderExcluir
  4. Quais são o 2 e 3 carros da foto? Parece Oldsmobile e Fiat

    ResponderExcluir
  5. Atrás do Adler é um Graham-Paige 1929 ou 1930, mas o pára-choque não é o dele.

    O de trás eu nem me atrevo...

    JP

    ResponderExcluir
  6. Gente ,
    afora outras beldades,que Adler lindo !
    E raro ! Destes modelos Adler esportivos dois lugares, na época, eram produzidos meia duzia de autos em alguns "carrozieri", tais como Karmann . Mas este não tem a manufatura especificada em livro que temos , no mais o AGB já matou a charada . Terá sido exportado ?
    Uma pérola de auto...Abs......Tato

    ResponderExcluir
  7. se é o gaucho tato que eu conheço, não teria esta dúvida. a mim, atrevidamente, diria ser um adler montado na bélgica, como ocorreu antes e depois da II Guerra.
    conheci o museu e quando organizamos a primeira grande viagem de automóveis antigos - fords a, s paulo - brasília, julho 1985, viagem quando entregamos o pedido de classificação dos veículos antigos, que se transformou na placa preta. pernoitamos no então recém inaugurado novotel, mostrado na foto, e fizemos visita. ambos ficavam à margem da br.
    haviam muitos automóveis, sugerindo uma operação de giro de acervo. do lado externo, durante muitos anos, permaneceu um citroën 11L conversível, raríssimo.
    ao que parece o museu pontuava a transformação de uma fazenda em loteamento. a morte prematura do antonio paulo levou junto os projetos. r nasser

    ResponderExcluir
  8. Mesmo não se tratando de um comentário relacionado com o tema, carros antigos, quero registrar o fato de haver conhecido a Antonio Paulo. Fundador em Salvador - Bahia, nos idos de 1968 aproximadamente da Conjunto Engenharia, tornou-se um dos maiores e mais conceituados construtores da era BNH no Brasil. Uma das pessoas mais confiáveis, decentes e corretas como patrão, que tive a honra de conhecer. Como projetista arquitetônico dessa empresa durante pouco mais de três anos, de 72 a 75, tempo que durou o boom imobiliário baiano, caso o procurasse com alguma dificuldade financeira, Antonio Paulo nunca recusava ajudar a quem precisasse. Sua palavra, em qualquer sentido, era única e mesmo que aquilo que prometia não tivesse sido "escrito e assinado", viria a cumprir exatamente como combinado. Ágil pianista erudito, assustava com suas enormes mãos (tinha cerca de dois metros de altura) a quem lhe emprestava o precioso instrumento para dedilhar, surpreendendo com a leveza e agilidade com que tocava as teclas e fazia emergir o som de alguma peça de Chopim.
    É isso caro responsável por essa página. Uma contribuição para dar mais uma idéia de como foi e quem era essa figura humana que criou o Museu do Automóvel de Uberaba.

    ResponderExcluir
  9. Olá pessoal.

    Viajei no tempo com esta foto. É bem provável que tenha sido tirada no início da década de 80. Vê se claramente o hotel NOVOTEL que não existe mais na avenida Filomena Cartafina que dá acesso ao município de Conquista-MG e Delta-MG. Fui várias vezes neste lugar de bicicleta. Era muito tranquilo, a mesma avenida dá acesso a BR 050 para Uberlândia e São Paulo. Hoje este trevo foi transformado em um viaduto pois os acidentes eram constantes nesta travessia. Muitas saudades de Uberaba (até me emociono) dessa época. Atrás do Novotel dá pra ver a famosa fazenda do Sr. Mario de Almeida Franco chamada de "São Geraldo". Mais atrás fica o distrito da "Baixa".

    ResponderExcluir
  10. Eu Tânia Maria de Souza Lima esposa de Josué Leite de Lima,que trabalhou na Fazenda Campo Verde Empreendimentos Rurais LTDA, juntamente com Haroldo estes, foram os representantes e participantes do desfile.Sem dúvida um dos mais belos acontecimentos desta querida cidade: Uberaba. No Museu do Automóvel tinha belos exemplares de carros antigos, bem conservados. Tenho algumas fotos do desfile e dos carros. Posso enviar se tiver interesse.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá eu morei na fazenda quando criança meu pai trabalhava lá linda a fazenda

      Excluir