segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Classic Show ...

Comprei nessa última Sexta-Feira a edição de número 47 da revista Classic Show.
Já sabia o que me esperava: o Mário Buzian já havia alertado aos amigos que estaria contada nessa edição a história do camping no Brasil, através da história da Turiscar, empresa fundada pelo seu sogro, o Sr. Pedro Scheid, & família. Como pude conferir, a matéria é rica em conteúdo e fotografias. E mais que isso, representa o resgate e a valorização de nossa cultura, inclusive automotiva.
Como eu disse ao Mário, impossível não ver essa matéria e não se lembrar daquele reboliço de meses atrás, onde "os blogs" colocaram o dedinho na ferida, pedindo da revista mais qualidade e mais pesquisa.
Acredito que essa matéria é um bom exemplo de que a preocupação da revista em melhorar existe, e que talvez tenha faltado apenas o retorno, ou o "termômetro" como se diz.
Além dessa matéria da Turiscar, a revista traz uma matéria sobre as Simca Rallye, as duas 1964 (primeira e segunda série), belíssimos exemplares do mais belo automóvel nacional. Traz também um pouco da história do antigomobilismo no Uruguay. Carros íntegros, com status de coleção... bem diferente da retórica anterior, em que se prendia aos ferros-velhos de beira de pista, com automóveis de restauração duvidosa. Certamente o Uruguay esconde alguns outros colecionadores que tenham salvado automóveis também muito interessantes... está aí um filão.
Com todo o respeito à pessoa, mas não gosto das matérias "especiais" do Ge Ferreira. Escreve bem, mas sobre temas desinteressantes. Ao meu ponto de vista, as fotos dos hot's canadenses, ficariam melhor em uma revista sobre hot's, não em uma "classic". Enquanto isso, os EUA reservam dezenas de museus, e centenas de coleções fantásticas, que com toda a certeza acrescentaria muito mais a nós leitores.
Falo da Revista com uma certa propriedade, como se tivesse. Acompanho-a desde a primeira edição, em tempo real. Gosto muito dela, já me ensinou demais, e por isso tudo, faço a crítica e ofereço sugestões sem o menor pudor. Se tiverem um arquivo, verão que eu certamente fui um dos primeiros assinantes, e encontrarão também algumas cartas manuscritas (mal escritas- diga-se). Inclusive o Ford 1951 na edição número 05, se não me engano; muito mais a título de incentivo e feed-back para a Revista, que de exibicionismo.
O Mário Buzian é colaborador antigo desse blog e já apareceu aqui com fotos antigas da família Scheid no dia 20 de Janeiro desse ano. Vejam em: Baú dos Scheid ...1, Baú dos Scheid ...2 e Baú dos Scheid ...3 .
Já tem a sua revista?
guilhermedicin@hotmail.com

8 comentários:

  1. Não, por que eu não compro mais. Até andei pensando em comprar, digitalizar e colocar de graça na internet, mas, afinal, me daria um trabalho danado... Mas seria justo até o dia em que eles se retratassem por terem publicado uma cartinha misteriosa como aquela, falando de algum blogueiro sinistro que, segndo eles, calunia e difama tão honrada publicação. Caras de pau, me fazem rir.
    Daqui uns dias aparece uma num sebo aqui perto, por R$1,00 e aí, se eu tiver trocado, pode ser que eu leve pra casa. ;)
    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. A matéria do Buzian é uma exceção na linha editorial da revista, que adotou uma riqueza de detalhes nas suas matérias (uma sobre americanos, outra sobre nacionais, ficando os europeus em segundo plano) que interessa quase que exclusivamente quem está restaurando um modelo abordado. Acho que perdeu-se a oportunidade de fazer matérias instigantes, críticas ou com uma dose de ironia e contextualização histórica melhorzinha. Compro por teimosia, mas não a leio faz muito tempo.

    ResponderExcluir
  3. Bom, agora eu fiquei meio suspeito de falar algo, rsrsrsrs !! A matéria foi redigida pelo Atos Fagundes sob fatos que eu mesmo repassei, e que ele gentilmente me enviou antes de publicar para a devida revisão...A escolha das imagens e a diagramação foram deles mesmos (foi disponibilizado mais de 300 arquivos diferentes em fotos, além do que já havia sido colocado no Turiscar Heritage Blog), eu só vi o resultado final quando peguei o exemplar na stand da revista na ExpoClassic, em Novo Hamburgo, onde foi feito o seu lançamento.
    Todo o esforço valeu muito a pena, pois as lágrimas que correram pelo rosto do Seu Pedro foram a resposta final a tudo isso, inclusive ele elogiando por demais toda a matéria...
    Fiquei muito feliz em colaborar para que tudo isso acontecesse, e mais ainda por ver que tenho amigos que não só elogiam, mas que são extremamente exigentes, e esse fato já me enche de orgulho !!!!
    Se eu puder continuar a redigir para a revista, quem sabe a linha editorial acabe melhorando a olhos vistos...(olha aí eu todo convencido,rsrsrsrs !!!!)

    ResponderExcluir
  4. Mário, essa matéria da Turiscar foi a grande redenção deles nos últimos anos, como sabemos. Que aliás tu deu de graça pra eles, mas tudo bem, têm que ser altruísta!
    Luís, tu é um cara de pau! Compra e não lê!?! Pior sou eu que minto que não compro! KKKKK!
    Mas eles melhoraram sim, comprei pela matéria da Turiscar e eles estão no caminho. Quem sabe, um dia, a revista não valha a pena ser mais lida e não apenas folheada atrás de fotos e anúncios. Sorte pra eles. Mas que aquela carta plantada foi feio foi e mais um monte de coisas.

    ResponderExcluir
  5. Nik, já que você comprou a revista, deve ter visto o sorriso do ganhador do Cadillac... rárárárá... lembrei de você na hora...

    Abraços,

    ResponderExcluir
  6. Olha, a revista é sobre carros antigos, e não entendo por que eles teriam a obrigação de fazer uma reportagem sobre treileres, que não são carros, no máximo objetos antigos como uma televisão ou um barco.
    A reportagem foi boa , o tema é interessante, mas não é sobre carros antigos.

    McQueen

    ResponderExcluir
  7. McQueen,

    Na realidade a matéria existiu justamente para demonstrar um produto nacional,que foi pioneiro na sua área,nasceu em terras gaúchas (as mesmas da revista),e teve importância fundamental não só no seu ramo de atuação (campismo e caravanismo),mas também na evolução do nosso mercado automobilístico,visto que os trailers propiciaram uma nova maneira de se viajar e de se hospedar,inclusive no que se refere aos carros-rebocadores,muitos deles foram vendidos em vista desse crescente mercado.

    ResponderExcluir
  8. Trailers são um produto de deslocamento viário. Se o foco são carros, haveria de ter motor e na matéria também fala-se dos "Motor-Homes" que também foram produzidos. Acho, entretanto, que a matéria apesar de cunho excelente e muito bem escrita pouco falou dos traileres em si. Focou em aspectos gerais da história da empresa e não do objeto de circulação - o Trailer. Ou seja, é mais uma história de empreendedorismo do que do veículo. Mas de novo, a matéria é boa eu li tudim tudim.

    Senti a falta de explorar mais os modelos com fotos. Não tem uma foto sequer do Monterey Sl 1100 o maior trailer da Turiscar de 3 eixos. Um colosso que eu tive o prazer de possuir. Aliás eu tive 2 Turiscar: um Imperial Residence ano 1986 e um Monterey SL 1100 de 3 eixos 1991, o popular "Quinta Roda". Ambos ficavam estacionados no Trailer Clube de Boituva aqui em SP. O Quinta Roda eu vendi no ano passado. Tenho fotos e videos com ele. Fui muito feliz com os Turiscar. Levava a tropa para a "casa de campo".

    É isso. Eu acho que a revistaé boa mas também tenho minhas críticas:
    1) Sai muito atrasada. Os anúncios são defasados e você liga e o cara diz que já vendeu faz tempo.
    2) Os artigos especiais sobre os carros parecem ser muito elitistas. Só modelos raros, carrões, etc. Nunca vi uma matéria com o popular fordinho. Por que não? Porque é comum? Ora bolas se é comum deve ter muitos interessados e a revista tem de atender aos interessados e não ao que o corpo editorial acha que é o "top". Poderia ter uma matéria extensa com o CLube do Fordinho mostrando todos os modelos e as estaísticas do Clube: viagens feitas, quantos carros estão orodando etc. Mas não faz. Nunca fez.
    3) Parece mais interessada em anunciantes do que em conteúdo. Não tem matérias técnicas, técnicas de restauro, idéias criativas, nada. Só carrões "top" e um monte de anúncios.

    É isso aí

    ResponderExcluir